Avui que marxa el sol, cansat de tant estiu.

Avui que torna a casa aquella olor de brasa i foc.

Avui que el dia plora, a poc a poc, és fa més curt.

I amb els colors els arbres de la mort en fan virtut.

Avui que ja has nascut m’he convençut...

M’encantaria passar la nit i el dia amb tú.

Canta i plora, riu molt, vola,
i compta amb mi si mai et sents sola.

Lluita i explora, enamora't.

Pintarem el món si es desflora i estima’l molt.

Que la tardor, t’estima com t’estimo jo.

Avui que la gebrada s’ha enamorat del bosc,

volant com una fada sobre el gran regne dels fongs.

Avui que l’alba és fresca, la boira abraça els turons

i amb aquest ulls de gresca et menjaria a petons.

Avui no ho dubtaria ni uns segons.

Espantaré els teus malsons, els teus malsons.

Canta i plora, riu molt, vola,
i compta amb mi si mai et sents sola.

Lluita i explora, enamora't.

Pintarem el món si es desflora i estima’l molt.

Que la tardor, t’estima com t’estimo jo.

Avui hi ha un cant d’ocells que emigra cap al sud
i els capgrossos amb potes busquen un terreny eixut.

Avui que les marmotes han vist hivernar l’ós bru,

tan sols una rialla i ja m’he enamorat de tú.
Avui que ja has nascut,

m’he convençut

que el vincle és infinit,

que la mare és terra i que tot comença aquí,

al ventre i al seu pit,

en un vincle infinit.

Que la terra és mare i que tot comença aquí.

Tot comença aquí.

Canta i plora, riu molt, vola,
i compta amb mi si mai et sents sola.

Lluita i explora, enamora't.

Pintarem el món si es desflora i estima’l molt.

Que la tardor, t’estima com t’estimo jo.

Hoje o sol se põe, cansado de tanto verão.

Hoje que aquele cheiro de brasas e fogo volta para casa.

Hoje que o dia chora, pouco a pouco, é mais curto.

E com as cores as árvores da morte fazem disso uma virtude.

Hoje que você nasceu eu fui convencido ...

Adoraria passar a noite e o dia com você.

Cante e chore, ria muito, voe

e conta comigo se você nunca se sentir solitária.

Lute e explore, apaixone-se

Vamos pintar o mundo se ele esvaziar e amá-lo muito.

Que o outono, te ama como eu te amo.

Hoje que a gelada se apaixonou pela floresta,

voando como uma fada no grande reino dos fungos.

Hoje que a madrugada é fresca, o nevoeiro abraça as colinas

e com esses olhos de festa eu a comeria a beijos.

Hoje eu não dubidaria nem ums segundos.

Vou assustar seus pesadelos, seus pesadelos.

Cante e chore, ria muito, voe

e conta comigo se você nunca se sentir solitária.

Lute e explore, apaixone-se

Vamos pintar o mundo se ele esvaziar e amá-lo muito.

Que o outono, te ama como eu te amo.

Hoje há um canto de pássaros que migram para o sul

e os girinos com pernas procuram um terreno seco.

Hoje as marmotas viram o urso pardo hibernar,

apenas uma risada e eu me apaixonei por você.

Hoje que você nasceu,

Estou convencido

que a união é infinita

que a mãe é terra e que tudo começa aqui,

na barriga e no seu peito

em uma união infinita.

Que a terra é mãe e que tudo começa aqui.

Tudo começa aqui.

Cante e chore, ria muito, voe

e conta comigo se você nunca se sentir solitária.

Lute e explore, apaixone-se

Vamos pintar o mundo se ele esvaziar e amá-lo muito.

Que o outono, te ama como eu te amo.

  • YouTube - Black Circle
  • Spotify - Círculo Negro
  • iTunes - Círculo Negro
  • Amazon - Círculo Negro